Interview with Stephanie Mantovani, founder Addolcire Icecream

Conte-nos um pouco sobre voce e seu interesse na indústria de comida,  e especialmente em sorvete.
Desde pequena, sempre ajudei minha avó a cozinhar e decorar bolos e lembro-me de falar muito sobre abrir um restaurante no futuro. Quando terminei o colégio, tinha dúvidas se era esse o melhor caminho a percorrer mas aceitei o desafio, me formei em Gastronomia pelo Senac e agradeço muito por ter tomado essa decisão. Na faculdade, trabalhei em diversas áreas e me encantei ainda mais pela confeitaria e tudo relacionado à ela.

Quando terminei a faculdade, fui trabalhar em uma gelateria, além de algumas chocolaterias. Assim, decidi aprimorar meu conhecimento em confeitaria viajando para Bologna, Itália, e cursando a faculdade Carpegiani, a mais especializada no que diz respeito ao gelato e confeitaria gelada. Ao voltar pro Brasil, já comecei a procurar imóveis para alugar e abrir minha própria confeitaria com ajuda da minha família.

É seu primeiro emprego na indústria  alimentos?
Quando comecei a faculdade, trabalhei em alguns restaurantes e confeitarias. Minha ideia era vivenciar o maior número de áreas para, então, ter certeza daquela que mais me atrai.

Quando você sabia que você queria ter uma loja e quais foram os primeiros passos que você deu para fazer isso acontecer?
Como disse, sempre sonhei em ter meu próprio restaurante/confeitaria. Toda minha família acabou entrando no sonho...minha avó cozinha incrivelmente bem, assim como meus pais. Quando meu pai mostrou seu apoio e alegria na ideia, tive certeza que daria certo. Depois, fiz cursos para me especializar mais e comecei a imaginar como tudo seria: onde, quais produtos teriam, o nome, as cores, as música que tocariam...nessa parte minha família foi crucial, principalmente minha irmã.

O que tem sido o seu maior desafio até agora?
Hoje eu sei que ter o próprio negócio é, na verdade, mais difícil do que dizem...Você tem que fazer muitas coisas ao mesmo tempo...falar com os fornecedores, clientes, funcionários, fazer a parte financeira, o marketing, pagar as contas, criar as receitas e testá-las, checar o que está na moda na gastronomia e ainda arranjar tempo para sua família e seus amigos. Ainda assim, por mais que às vezes eu possa ficar cansada, a felicidade que a Addolcire me traz compensa tudo.

São Paulo tem um monte de lojas de sorvete, o que você acha diferente entre seu e os outros?
Em São Paulo, se você pretende abrir algo, você deve saber de antemão que aqui já tem tudo. Mesmo. Então, pra você não se tornar “mais um”, você tem que ver também o que falta nos outros e fazer não apenas o que as pessoas esperam de você, mas também aquilo que as surpreenderiam. Por exemplo, aqui nós realmente ouvimos o que os clientes sugerem. Se eles ou minha equipe indicam um sabor, vou fazer a receita e iremos testar! Dando certo, coloco na loja. Também, tentamos não ficar na “zona de conforto” e testamos sabores originais, mesmo que eles possam parecer estranhos ou incomuns (como o Brie com Pera ao Vinho, Cachaça com Caju, Strudel de Maçã ou até o que leva o nome da casa, que é Crème Brûlée com limão siciliano).

Outra coisa que as pessoas costumam adorar aqui é que temos muitas opções sem lactose ou veganas, sem glúten ou adição de açúcar.

Por último, eu vejo que os clientes sentem-se confortáveis aqui! O ambiente é fofo e aconchegante, então fica fácil ter uma boa experiência.

Qual é o seu sabor favorito? 
Essa decisão é bem difícil...depende do que eu quero na hora e como está o dia! Eu amo o “Amaro”, que é chocolate belga amargo às vezes acrescido de algo como Brownie, Cereja ou Marshmallow. Quando está quente, eu prefiro o de Abacaxi com Manjericão feito à base de água! É bastante refrescante!