Lane Marinho Shoes

Estou muito animada para postar sobre Lane Marinho que é uma artista que eu admiro há muito tempo! Ela faz belos sapatos, além de pinturas, que eu tenho usado durante todo o verão! Eu pedi para Lane responder a algumas perguntas sobre sua arte, inspiração e produtos e ela felizmente aceitou! Eu espero que vocês gostam de aprender sobre ela! Eu já coloquei minha próxima encomenda...

Como você conseguiu o seu início na indústria criativa? E em sapatos?
Nasci e cresci em Salvador, na Bahia. Com idas nas férias para o interior do estado, onde meus pais nasceram, perto da Chapada - com cachoeiras, gente simples e muito verde. Sempre gostei de desenho e de atividades manuais. Aprendi cedo a fazer crochê, pequenos bordados e costuras. Era aquela criança que adorava enfeitar os trabalhos com muitos desenhos coloridos e estava sempre com lápis-de-cor e cadernos cheios de flor. E que ia a praia sempre para catar conchas, pedrinhas e guardava tudo pra tentar inventar alguma coisa depois. 

Eu fiz Design de Produto, já estudei Design Gráfico também, mas me considero mais autodidata do que qualquer outra coisa: leio livros, procuro vídeos de 'como fazer' e vou experimentando o que posso. Depois de vencer um concurso nacional organizado pela Melissa, fui trabalhar com eles no Sul do país por 4 anos na Grendene. E depois mais 5 anos no grupo Arezzo, criando coleções de sapatos para a Schutz e Alexandre Birman. 

Foi em 2013 que decidi deixar o trabalho de estilista para me aproximar mais da manufatura, que é mesmo fazer, cortar, costurar. Como já conhecia o processo, comecei a experimentar sozinha. Gosto da mão-na-massa.

Foi difícil deixar uma marca estabelecida e começar a trabalhar em seu próprio projeto? O que fez você dar o salto?
Não foi muito planejado. Eu achava que precisava de mudanças, precisava de um espaço em que pudesse experimentar com as mãos. E por isso comecei a pintar telas à óleo. No meio do processo de pintura, comprei os materiais para fazer as flats e um processo acabou interferindo no outro. 

E essa mudança toda aconteceu depois de um período de imersão de desenho no Rio de Janeiro, com o professor Charles Watson, que tem o trabalho focado na pesquisa sobre processos criativos. E foi uma experiência incrível.

Como você definiria a sua estética?
É difícil definir a estética, mas posso falar um pouco do que me inspira. Sou muito apaixonada por beleza natural. Acho que a gente se esforça tanto pra fazer coisas bonitas, criar belas peças, desenhar algo maravilhoso...

E enquanto isso a natureza está ai, levemente linda, sem esforço, silenciosa e elegante. Isso me fascina muito e por isso as referências naturais de flores e plantas, conchas e corais, pedras naturais e gemas (preciosas ou não), pra mim são o grau máximo de beleza e elegância sem esforço.

Como você combina sua paixão pela arte com fazer sapatos? Você tenta fazer um sapato da mesma forma que uma pintura, por exemplo, através da cor e textura?
Acho que sim. Não consigo fazer separação entre uma coisa e outra. A forma de compor, organizar e escolher as cores, o processo é o mesmo e só muda a mídia.

Por meio do instagram, posso ver muitos dos diferentes artistas que influenciam você, existe alguém em particular que você considera um gênio criativo?
Sim, acho o Burle Marx incrível. Ele consegue manter uma coerência estética no seu trabalho como paisagista, como pintor, desenhista, designer de jóias e até cantor. Gosto da idéia de poder transitar por diversas formas de expressão.

Você tem um favorito par de sapatos que você criou?
Gosto muito da versão com bordado quadriculado e aplicação de coral. Acho que é o meu preferido! 

For English click here.