Rio Exhibit: Casa Daros' Made in Brazil

This past Sunday I stopped by Casa Daros to check out their latest exhibit, Made in Brazil. Casa Daros always puts on great shows on Latin American artists and this particular exhibit was just of Brazilian artists. The exhibit wasn't as impressive as some of the previous ones at Casa Daros, but it was still nice to see a celebration of Brazilian art. Some highlights were an installation by Cildo Meireles and works by Vik Muniz (I loved Medusa Marinara). 

No domingo passado, eu passei pela Casa Daros para ver a nova exibição, Made in Brazil. A Casa Daros sempre tem exibições boas de artistas latino americanos e essa exibição em particular é somente sobre artistas brasileiros. Eu não fiquei tão impressionada com essa exibição como as anteriores, mas é sempre legal ver uma celebração a arte brasileira. As obras que eu mais gostei foram uma instalação pelo Cildo Meireles e as obras do Vik Muniz (eu amei a Medusa Marinara).  

SP Restaurant: Padoca do Mani

Mani is one of my favorite restaurants in Sao Paulo so I was very excited when Padoca do Mani opened up a few door down. The Padoca is a small cafe serving breakfast and lunch with fresh ingredients and the Mani touch; off duty Mani chefs are often hanging out here between shifts! The cafe has a tiny,  uncomplicated menu written on the wall and makes everything in house including the breads, pastries and juices. The food can be easily made for take-out and many of the raw ingredients are for sale. One of the most original things for purchase are the homemade broths. They are made to take home for cooking and come in specialty flavors like: seafood, veg, meat.

Mani é um dos meus restaurantes favoritos em São Paulo, então eu fique animada quando a Padoca do Mani abriu na mesma rua. A Padoca é um pequeno café que serve café da manhã e almoço com ingredientes frescos e o toque Mani! O café tem um pequeno menu simple escrito na parede e faz tudo em casa, incluindo os pães, bolos e sucos. A comida pode ser facilmente feito para viagem e muitos dos ingredientes estão à venda. Uma das coisas mais originais para a compra são os caldos caseiros. Eles são feitos para levar para casa para cozinhar e vêm em sabores especiais como: frutos do mar, legumes, carne.

Rio Food: Carolinas Feito em Casa

Last week in Rio (at another Food Truck festival - we're obsessed), we discovered a cute stand with baked goods that reminded us of a high-school bakesale. While most of the other food stops were proper trucks, the simplicity of their charming stand caught our eye. We bought delicious cookies from them and heard their interesting story. "Carolinas Feito em Casa" is named after the two Carolinas that started it. As moms who met on the playground, they got to talking about getting back to work - one is a lawyer and one is a psychologist. They did not want to return to work full time but wanted something fun to do together and most importantly, work from home with their kids. They thought baking, a shared passion, would be the perfect opportunity. Now they can be found every Friday at the market on Praça Santos Dumont and once a month at the Feira Planetaria de Foodtrucks na Gavea. 

Na semana passada, no Rio (em outro encontro de  Food Trucks - estamos obcecadas), descobrimos um carrinho bonito com bolos e cookies que nos fiz lembrar das "bakesales" na escola. Enquanto a maioria dos outros Food Trucks eram caminhões próprios, a simplicidade da parada chamou a nossa atenção. Compramos deliciosos biscoitos delas e ouvimos a sua história interessante. "Carolinas Feito em Casa" é chamado após as duas Carolinas que começaram a cozinhar. As mães que se conheceram no parque infantil, e elas começaram a conversar sobre ir de volta ao trabalho -  uma é advogada e a outra uma psicóloga. Mas elas não queriam voltar a trabalhar o tempo inteiro, queriam algo divertido e, mais importante, trabalhar desde casa com seus filhos. Elas pensaram que a cozinha, uma paixão comum, seria a oportunidade perfeita. Agora eles podem ser encontradas a cada sexta-feira no mercado na Praça Santos Dumont e uma vez por mês na Feira Planetaria de Foodtrucks na Gávea

Rio: New Openings 2015

We spent this past weekend together in Rio and have some new great openings to report about! On Friday night, we went to the opening of Formidable Bistrot restaurant. As fans of Irajá, we were so excited to hear the same chef (Pedro de Artagão) was opening a new restaurant: Formidable Bistrot. The corner-restaurant has a charming bistro-like set up with French-inspired menus written on blackboards and close-knit tables. The menu was quite small and not overwhelming. We sat at the bar and ordered a few things to share - we were impressed by every dish. 

After dinner, we went to the newly opened bar Usina 47, a great stop for post-dinner cocktails (we've heard it's also a happening post-beach spot). Usina 47 is a much-needed addition to the neighborhood and a welcome change from the usual chopp bars.  The bar has large open windows allowing people to spill onto the street with drinks in hand, making for a very relaxed 'Rio' vibe. The drink menu is expansive (more than 40 drinks) and predominated by gin - we really loved the house-cocktail, Usina, made with watermelon, gin, ginger and a hint of tabasco. 

Passamos o fim de semana juntas no Rio e temos algumas novas aberturas para comentar! Na sexta-feira à noite, fomos para a abertura do restaurante Formidable Bistrot.. Como fãs de Irajá, estávamos super animadas ao ouvir que o mesmo chef (Pedro de Artagão) abriu um novo restaurante: Formidable Bistrot. O restaurante de esquina parece um charmoso bistrô criado com menu pequeno de inspiração francesa, escritas em lousas e mesas românticas.. Nos sentamos no bar e pedimos algumas coisas para compartilhar - ficamos impressionadas com cada prato.

Depois do jantar, fomos para o bar recém-inaugurado Usina 47, uma ótima opção para cocktails depois do jantar (ouvimos que também esta lotado pós-praia). Usina 47 é uma adição muito necessária para o bairro e diferente das choperias habituais. O bar tem grandes janelas abertas permitindo que as pessoas se espalham pela rua com bebidas na mão, faz um ambiente bem relaxado. O menu de bebidas é amplo (mais de 40 drinks) e predominado por gin - nós realmente amamos o cocktail de casa, Usina, feito com melancia, gin, gengibre e um pouco de tabasco.

Lane Marinho Shoes

Estou muito animada para postar sobre Lane Marinho que é uma artista que eu admiro há muito tempo! Ela faz belos sapatos, além de pinturas, que eu tenho usado durante todo o verão! Eu pedi para Lane responder a algumas perguntas sobre sua arte, inspiração e produtos e ela felizmente aceitou! Eu espero que vocês gostam de aprender sobre ela! Eu já coloquei minha próxima encomenda...

Como você conseguiu o seu início na indústria criativa? E em sapatos?
Nasci e cresci em Salvador, na Bahia. Com idas nas férias para o interior do estado, onde meus pais nasceram, perto da Chapada - com cachoeiras, gente simples e muito verde. Sempre gostei de desenho e de atividades manuais. Aprendi cedo a fazer crochê, pequenos bordados e costuras. Era aquela criança que adorava enfeitar os trabalhos com muitos desenhos coloridos e estava sempre com lápis-de-cor e cadernos cheios de flor. E que ia a praia sempre para catar conchas, pedrinhas e guardava tudo pra tentar inventar alguma coisa depois. 

Eu fiz Design de Produto, já estudei Design Gráfico também, mas me considero mais autodidata do que qualquer outra coisa: leio livros, procuro vídeos de 'como fazer' e vou experimentando o que posso. Depois de vencer um concurso nacional organizado pela Melissa, fui trabalhar com eles no Sul do país por 4 anos na Grendene. E depois mais 5 anos no grupo Arezzo, criando coleções de sapatos para a Schutz e Alexandre Birman. 

Foi em 2013 que decidi deixar o trabalho de estilista para me aproximar mais da manufatura, que é mesmo fazer, cortar, costurar. Como já conhecia o processo, comecei a experimentar sozinha. Gosto da mão-na-massa.

Foi difícil deixar uma marca estabelecida e começar a trabalhar em seu próprio projeto? O que fez você dar o salto?
Não foi muito planejado. Eu achava que precisava de mudanças, precisava de um espaço em que pudesse experimentar com as mãos. E por isso comecei a pintar telas à óleo. No meio do processo de pintura, comprei os materiais para fazer as flats e um processo acabou interferindo no outro. 

E essa mudança toda aconteceu depois de um período de imersão de desenho no Rio de Janeiro, com o professor Charles Watson, que tem o trabalho focado na pesquisa sobre processos criativos. E foi uma experiência incrível.

Como você definiria a sua estética?
É difícil definir a estética, mas posso falar um pouco do que me inspira. Sou muito apaixonada por beleza natural. Acho que a gente se esforça tanto pra fazer coisas bonitas, criar belas peças, desenhar algo maravilhoso...

E enquanto isso a natureza está ai, levemente linda, sem esforço, silenciosa e elegante. Isso me fascina muito e por isso as referências naturais de flores e plantas, conchas e corais, pedras naturais e gemas (preciosas ou não), pra mim são o grau máximo de beleza e elegância sem esforço.

Como você combina sua paixão pela arte com fazer sapatos? Você tenta fazer um sapato da mesma forma que uma pintura, por exemplo, através da cor e textura?
Acho que sim. Não consigo fazer separação entre uma coisa e outra. A forma de compor, organizar e escolher as cores, o processo é o mesmo e só muda a mídia.

Por meio do instagram, posso ver muitos dos diferentes artistas que influenciam você, existe alguém em particular que você considera um gênio criativo?
Sim, acho o Burle Marx incrível. Ele consegue manter uma coerência estética no seu trabalho como paisagista, como pintor, desenhista, designer de jóias e até cantor. Gosto da idéia de poder transitar por diversas formas de expressão.

Você tem um favorito par de sapatos que você criou?
Gosto muito da versão com bordado quadriculado e aplicação de coral. Acho que é o meu preferido! 

For English click here.

 

Rio Hot Yoga Studio

As Clara and I have mentioned before, there is a lack of workout options here in Brazil. We both miss the fun, exciting and efficient classes of NY, so when I discovered this hot yoga studio in the heart of Ipanema I was an overnight convert. The bright, airy studio space, the zen atmosphere and teacher Teka's good vibes makes this studio a regular in my workout regime and a place where I can relax and re-center. Hot Yoga is definitely intense and at times painful, but it burns up to 800 calories in one session and leaves you with a feeling of accomplishment. Not to mention, the hot room is kind of addictive once you get use to it! 

Como Clara e eu já mencionamos antes , Brazil carece de opções para aulas de exercício. Nós dois temos muitas saudades das aulas  interessantes e divertidas de NY, por isso, quando eu descobri este estúdio de hot yoga no coração de Ipanema eu converti imediatamente . O espaço luminoso, a atmosfera zen e as "good vibes" da professora Teka fazem que este estúdio seja um constante no meu regime atlético e um lugar onde eu posso relaxar. Hot Yoga é definitivamente intenso e às vezes doloroso, mas ele queima até 800 calorias e você sai com um sentimento satisfeito. Alem disso, uma vez que você se acostuma ao quarto quente, você vai estar viciado!

 

SP Food Trucks

Todo último domingo do mês, há umencontro de Food Trucks, que chega às tranquilas ruas arborizadas de Moema, organizado pelo “Guia Food Trucks”. Localizado em alguns techos das duas ruas paralelas do bairro,  fui para o encontro neste fim de semana para almoçar, na espectativa de experimentar alguns novos food trucks. São Paulo está passando por um grande aumento na quantidade de food trucks pelas ruas. Na cidade onde todo o mundo está dirigindo, não e sorpendente que a comida também se move nas rodas. 

Na experiência que tive, os chefs de food trucks são muito apaixonados por comida, mas muitas vezes o fazemcomo um projeto paralelo juntamente com o trabalho diario, ou não querem se comprometer com um restaurante. Eu gosto de apoiar essa paixão dos chefs e comer nos food trucks sempre que posso! Os food trucks também estão disponíveis para alugar para eventos privados, que acho uma idéia maravilhosa e criativa para uma festa ou evento corporativo.

Descobrir novos food trucks é muito divertido e fique animada de ir ao encontro em Moema. Cheguei cedo e, como foi um encontro bastante pequeno (20 food trucks), a minha tática era começar pelo Mendozitos (um truck de vinho) para pegar uma taça de vinho antes de caminhar pelas ruas para ver todas as opções disponíveis e escholer onde comer. Mendozitos é um dos meus favoritos “drink trucks” em São Paulo - servindo apenas vinho, este caminhão é o complemento perfeito para os outros que servem comida. É o exemplo ideal de um "projeto paralelo" ao trabalho cuotidiano, pois seus fundadores continuam trabalhando em jornalismo e publicidade. Com uma taça de Malbec Rose na mão, comecei a jornada pela comida ...

Comecei na “Holy Pasta” Food Truck e pedi o “Mac n’ Cheese”, o prato mais altamente recomendado pelos chefs. A pasta foi deliciosa, mas se você quiser experimentar comida de um monte de caminhões diferentes,  eu recomendo dividir os pratos, porque as porções são grandes! Próxima parada – Buzina, para comer um Veggie Burger (o meu favorito dos pratos que comi). Buzina é um dos Food Trucks mais populares e, na minha opinião, o mais acessível durante a semana. Eles são bem organizados e planejados para servir, e visitam bairros variados durante a semana inteira. Depois, eu fui ao “Asian Father” atrás de um Pad Thai maravilhoiso e  finalmente, chegei no Box Fruta para um smoothie de Açaí. Na próxmias vez, eu quero experimentar “Da Praia” pois seus lobster rolls pareciam deliciosos! Depois de toda a comida, voltei para Mendozitos para tomar uma garrafa de vinho da casa!

Agora que eu descobri alguns novos food trucks, posso segui-los pela a cidade e comer suas comidas separadamente. Mas eu certamente voltarei a este encontro mensal, pois a atmosfera do local, atrelada as comidas e bebidas dos trucks, proporcionam uma experiência única. 

For English click here.

SP Restaurant: La Guapa

One of my favorite restaurants in SP is Arturito, so you can imagine how excited I was when their Argentine chef opened an empanada restaurant a few block from my house! La Guapa is located in Livraria da Vila on Lorena in a super relaxed setting, perfect for book browsing while you munch. The empanadas (which come in 8 different fillings) are seriously good, super flavorful and slightly burnt! My favorite by far are: Frango Caipria and Pucacapas.  

Um dos meus restaurantes favoritos em SP é Arturito, então fique super animada quando seu chef argentino abriu um restaurante de empanadas algumas quadras da minha casa! La Guapa está localizada na Livraria da Vila na Alemada Lorena em um ambiente super relaxado, perfeito para leer livro enquanto você come. As empanadas (que vêm em 8 recheios diferentes) são super saborosa e ligeiramente queimadas! Os meus favoritos são: Frango Caipria e Pucacapas .

SP Restaurant: La Central

Casa Vogue

Casa Vogue

It's rare that a cool restaurant opens in famous landmark but that's just what La Central did in Sao Paulo. Recently opened in the Copan Building, La Central serves Mexican food in a beautifully designed restaurant. While the restaurant has a new modern design, the interiors match the style of The Copan Building making it feel authentic to Niemeyer's plans of the Copan. It's the perfect food stop in Centro after visiting the nearby Galeria Pivô and having a drink at Bar da Onça

Não é todo dia que um restaurante legal abre em um famoso local turístico, mas La Central esta fazendo exatamente isso em São Paulo. Recentemente inaugurado no Edifício Copan, La Central serve comida mexicana em um restaurante muito bem desenhado. Enquanto o restaurante tem um novo design moderno, os interiores combinam perfeitamente com o estilo do edifício Copan. É o local perfeito para comer no Centro, depois de visitar a galeria vizinha Pivô e ter uma bebida no Bar da Onça

Recipe: Red Lentil Soup

Rio de Janeiro majorly lacks a variety of cuisines, which makes me constantly crave all the ethnic foods that were at my finger-tips in NY or London. Also, Cariocas typically dislike spicy which is so funny to me, considering their other Latin American neighbors tend to put heat in their cuisines. To satisfy my craving,  I decided to make my mom's Red Lentil Soup which has a bit of an Indian flair to it. This soup is really healthy (it's vegan!), easy to make, and absolutely delicious and incredibly light despite the spices. I usually make a batch of this on Sunday and store it (it freezes really well). Recipe here.

Rio de Janeiro não tem muito variedade de cozinhas, que me faz constantemente desejar todos os comidas étnicas que estavam em minhas pontas dos dedos em NY ou Londres. Além disso, geralmente as Cariocas não gostam comidas picante que é engraçado para mim, considerando seus outros vizinhos latino-americanos que tendem a colocar fogo em suas comidas. Para satisfazer o meu desejo, eu decidi fazer sopa de lentilha vermelha da minha mãe , que tem um pouco da inspiração indiana. Esta sopa é realmente saudável (é vegan!) , fácil de fazer , e absolutamente delicioso e incrivelmente leve, apesar das temperos fortes. Eu costumo fazer um lote deste no domingo e armazená-lo ( ele congela muito bem). A receita está aqui.